O AMOR MORA NOS DETALHES

E de repente você descobre, de um salto você sabe, que no movimento que descontinua a normalidade de um dia comum está o instante mágico da vida, o amor, que mora nos detalhes, pequenos detalhes que compõe o dia a dia, que transformam a trivialidade dos dias sempre iguais em flagrantes extraordinários. O amor é paradoxal, te sufoca por quase um segundo, para depois te fazer viver mais. O amor é colcha de retalhos, é costura de afeto dos laços que nos unem. É o desatar dos nós do cotidiano que nos prende, é a razão dos entrelaços que nos libertam de dias turvos. É uma mensagem que chega trazendo o desejo de um bom dia, é ser surpreendida com flores no meio tarde, é o boa noite que nos faz dormir sorrindo. É sorriso bobo dançando no rosto, mesmo uma hora depois de desligar o telefone.

FONTE: Imagen Gifs
Mas o amor também é superação, é dia comum, é roupa no varal, é chuva que cai mansinha no quintal, é fazermos juntos o que poderíamos fazer separados, é querer estar junto e estar. O amor está em qualquer tarefa de um dia normal. 

O amor edifica, faz da decepção, capacitação; da dor, aprendizado; permite a um coração ferido que a tristeza transborde até virar alívio, é solidão que liberta. O amor não subtrai, só faz conta de multiplicação, multiplica os amigos, a coragem, os dias felizes.

Mas o amor também sabe caçoar, te faz desconcertado na frente do garoto que faz seu coração acelerar, te faz parecer boba quando ela se aproxima, faz as palavras saírem mais rápido do que você é capaz de concatená-las, e o resultado é um atropelo só, frases sem sentido que nas entrelinhas do seu desarranjo querem dizer apenas, amo-te. Apesar das minhas loucuras, amo-te; apesar da complexidade que habita meu mundo é excepcionalmente simples o quanto amo você. Receba a mensagem, ilumine meu dia, seja você, porque amo-te, não importa onde você está. Amo-te, não importa de onde veio, importa-me apenas se é capaz de permanecer a meu lado aconteça o que acontecer, se é capaz de sorrir em meio as circunstâncias contrárias, se quando busca pelos meus, pelos seus, pelos nossos sonhos não se importa em parecer louco ou louca.  

Mas o amor não é só transcendência, ele é também exigente, o amor conhece a imperfeição, admite falhas, mas e você, é capaz de conviver com um eu falho e complexo? Porque o amor não é feito só de dias belos, mas da capacidade de suportar também os dias nublados. O amor não quer saber sua idade, eu não quero saber sua idade, mas interessa-me saber se seu espírito é capaz de suportar com elegância a aventura que é estar vivo. E quando a tristeza alcançá-lo, quero saber se é capaz de sustentar suas dores sem esmorecer. E quando alegre quero saber se é capaz de dividir comigo o motivo da sua alegria, ou o que lhe causa medo.


E não se engane, o amor não sobrevive só de vocábulos ele precisa de ações para florescer, para crescer forte e vigoroso o amor precisa ser alimentado, com afeto, com atenção. Oscilações e noites densas são a outra face do amor que completam nossos dias, onde a poesia, os simbolismos são particularidades que somente o olhar iluminado de quem não está sozinho é capaz de enxergar.

Mas o amor, o amor não é maldoso, não respeita padrões, não escolhe sexo, cor ou religião, porque se fosse condescendente com as mazelas do mundo, não seria amor.


Shirley Basílio | Nenhum Comentário

0 Comentários:

Postar um comentário