AVANTE GUERREIROS

Neste momento em que todos os olhares apontam em nossa direção, os entendidos vibram de certeza acerca das impossibilidades de nos sagrarmos campeões da Copa das Copas. Os torcedores disfarçam seus medos e inseguranças em exacerbada euforia que camuflam nossa maior esperança – sermos mais que os anfitriões da copa. Queremos a taça de campeão tanto quanto desejamos respirar, mas cuidamos para deixar oculto nosso sonho em frases de “não somos os melhores”, e não somos mesmo. Contra o Brasil por motivos circunstanciais ou não a seleção da Alemanha é a grande favorita.

O cenário em que nossa seleção enfrentará a Alemanha não poderia ser mais dramático, não contamos mais com a genial molecagem do camisa 10 do Brasil. Graças a uma entrada dura do colombiano Zúñiga o garoto Neymar fraturou a terceira vértebra lombar e está fora dos dois próximos jogos. O zagueiro Thiago Silva, recebeu contra a Colômbia seu segundo cartão amarelo nesta Copa e está fora da semifinal. Mesmo tendo se descontrolado em um momento importante o capitão é um dos líderes dessa equipe. Sua ausência será sentida. E é assim que a seleção brasileira chegará ao confronto contra a experiente seleção alemã, tendo enfrentado um obstáculo a cada jogo, tendo que se reconstruir ao final de cada partida. 

O craque é decisivo, sabemos todos. Mas agora que não contamos mais com as qualidades do menino considerado gênio, a coletividade terá que ser suficiente. A hora é de apoiar. Se antes nos assombravam problemas táticos e técnicos, que não nos assombre agora a falta de fé em nós mesmos. Que o medo presente nas arquibancadas no jogo contra o Chile que impedia a torcida de gritar, de gesticular os braços e de se agigantar quando mais precisavam os nossos bravos guerreiros, que este medo paralisante não compareça amanhã diante da Alemanha no Mineirão. Que nossos bravíssimos torcedores que não deixam a torcida adversária cantar seu hino, sejam igualmente bravos para empurrar nossa seleção rumo à vitória.

A pressão que sofrem nossos jogadores é absurda. A seleção brasileira há muito não nos encanta mais como em outros tempos nos encantaram a seleção de jogadores que hoje ocupam a bancada de comentaristas das emissoras de TV. Então, é isso o que temos. Mas convém dizer que a responsabilidade que pesa sobre os ombros destes jovens corajosos guerreiros, responsabilidade esta que para alguns é entendida tão somente como um privilégio, esta, em tempo algum expressou comedimento. E se os craques de hoje não possuem as mesmas qualidades dos craques de tempos idos, a incumbência que nossos meninos aceitaram sem nem mesmo pestanejar, permaneceu imutável ao longo dos anos.

E se não pudermos conceder a eles nossa confiança, que não nos falte o respeito pela bravura demonstrada ao aceitar com assombrosa coragem tão grandiosa tarefa. Avante guerreiros!

Shirley Basílio | Nenhum Comentário

0 Comentários:

Postar um comentário